Destaque Geral saúde

Ministério da Saúde amplia grupos prioritários para a vacinação contra a Covid-19

No Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 atualizado pelo Ministério da Saúde, está previsto que o número de pessoas que fazem parte dos grupos prioritários gira em torno de 77,2 milhões.

Essa nova versão do documento detalha a primeira etapa de vacinação. A expectativa é que 2,8 milhões de pessoas receberão as duas doses da CoronaVac, que possui 6 milhões de doses disponíveis. Neste grupo estão incluídos os trabalhadores da saúde na linha de frente contra a Covid-19; pessoas idosas com 60 anos ou mais, residentes em instituições de longa permanência (institucionalizadas); pessoas a partir de 18 anos de idade com deficiência em Residências Inclusivas (institucionalizadas) e população indígena vivendo em terras indígenas.

De acordo com a disponibilidade da vacina, serão imunizados as equipes de vacinação que estiverem envolvidas na etapa das primeiras 6 milhões de doses; trabalhadores das Instituições de Longa Permanência de Idosos e de Residências Inclusivas (Serviço de Acolhimento Institucional em Residência Inclusiva para jovens e adultos com deficiência); trabalhadores dos serviços de saúde públicos e privados, tanto da urgência quanto da atenção básica, envolvidos diretamente na atenção/referência para os casos suspeitos e confirmados da Covid-19; outros trabalhadores de saúde.

Mais grupos foram incluídos no conjunto prioritário, com destaque para a área da educação, que tem enfrentado muitos pedidos para a volta às aulas presenciais. “Nessa estratégia será solicitado o documento que comprove a vinculação ativa do profissional com a escola ou apresentação de declaração emitida pela instituição de ensino”, ressalta o documento. Trabalhadores industriais e que lidam com transporte como caminhoneiros e profissionais dos transportes coletivos também foram incluidos. 

Isso não significa que os novos grupos tomarão a vacina imediatamente. Neste primeiro momento, o plano é imunizar os profissionais da saúde, pessoas com 60 ou mais institucionalizadas, povos indígenas vivendo em comunidades indígenas e pessoas com deficiência institucionalizadas. 

Leia Também