Destaque Região

O poder da Imprensa: Prefeitura de Cruzália, enfim, presta conta

dinheiro_calculadora

 

Em suas explicações Prefeitura não explicou o porque de tanta demora em prestar contas, e não citou o valor gasto com a  secretária Rosana Tasso, cargo este que não existia e foi criado aumentando as despesas da Prefeitura de  Cruzália, na nota fez questão de citar a ecônomia feita com o Jornal Folha de Pedrinhas, mas não citou que esta gastando em outro jornal, pois os atos oficiais todas as prefeituras são obrigadas a publicar.

Após várias matérias veiculadas pela Folha de Pedrinhas a Prefeitura Municipal de Cruzália resolveu se render e prestar contas do dinheiro que a Câmara Municipal devolveu.

Sobre o caso – No total foram mais de R$ 120 reais que o legislativo devolveu, na época o presidente da Câmara era o atual vereador Mauro Pacelli. Junto com a devolução do dinheiro foi feito um requerimento assinado por todos os vereadores, que indicaram a compra de uma ambulância e a melhoria no sistema de ventilação do Velório Municipal. A Prefeitura de Cruzália recebeu o dinheiro e ignorou o requerimento, não prestando contas do dinheiro. Com isso a população começou a cobrar sobre a destinação deste dinheiro e a Folha de Pedrinhas vinha acompanhando o caso com matérias, cobrando a transparência da Prefeitura de Cruzália, tendo em vista se tratar de dinheiro público.

Apesar de uma longa demora a Prefeitura finalmente resolveu prestar contas do dinheiro que a Câmara devolveu. Você acompanha na integra a prestação de contas que a Prefeitura fez na próxima edição impressa, que será veiculada no próximo sábado, dia 18/09.

 

Hoje, à noite, a partir das 20 horas, segundo informações da secretária da Câmara Municipal de Cruzália a prestação de contas será lida em plenário.

 

Mais um caso resolvido este não é o primeiro caso que se chega à solução através das divulgações da Folha de Pedrinhas. No início do ano ocorreu o corte nos ônibus escolar, atitude esta que prejudicou vários alunos, que ficaram ameaçados de ficar sem transporte para estudar. Após as matérias e a mobilização popular a Prefeitura de Cruzália voltou atrás e encontrou uma solução para o problema, embora que alguns alunos foram prejudicados ao ponto de deixar o emprego que tinham na região e se mudarem para Marília. Em seguida o transporte voltou a estar à disposição dos alunos. Na época alguns vereadores se manifestaram contra a atitude da prefeitura de Cruzália, como foi o caso dos vereadores Mosquito e Maurão.

Leia Também