Destaque Pedrinhas Paulista

Uma celebração de Páscoa diferente de todas as que já vivemos

A comemoração cristã jamais vivenciada pela nossa geração

 

Está não é a primeira pandemia que a humanidade enfrenta.

No século XIV, a peste negra foi uma pandemia, isto é, a proliferação generalizada de uma doença causada pelo bacilo Yersinia pestis, fato este ocorrido na Europa.

Essa peste integrou a série de acontecimentos que contribuíram para a Crise da Baixa Idade Média, como as revoltas camponesas, a Guerra dos Cem Anos e o declínio da cavalaria medieval.

A Peste Negra tem sua origem no continente asiático, precisamente na China. Sua chegada à Europa está relacionada às caravanas de comércio que vinham da Ásia através do Mar Mediterrâneo e aportavam nas cidades costeiras europeias, como Veneza e Gênova. Calcula-se que cerca de um terço da população europeia tenha sido dizimada por conta da peste.

Coronavírus

Atualmente estamos enfrentando uma outra pandemia, a COVID-19.  A doença tem espalhado pânico por todo o mundo. Aqui no Brasil, não é diferente; pessoas com medo e deprimidas além dos milhares de casos confirmados e as centenas de mortes.

São vários os transtornos causados pelo vírus, mas me retenho na celebração da Páscoa, celebração que é o ápice da fé cristã, onde celebramos a morte e ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo.

Diferente de outros anos, as celebrações não poderão contar com a presença dos fiéis, convidados a acompanhar pela internet, rádio e TV, o que não se compara a estar presente celebrando e comungando a corpo de nosso senhor Jesus Cristo presencialmente.

 

Acompanhar pela TV, Rádio e Internet

Em conversa com muitos fiéis é possível notar que muitos acompanham a missa pela internet, rádio ou TV, de uma forma não concentrada, pois ligam o aparelho e estão nos afazeres de casa, o que não é igual a estar presente em uma celebração eucarística ,acompanhando no folheto, levantando, sentando e se ajoelhando como de costume.

Por isso, não tenho dúvidas em afirmar o grande prejuízo que a ausência das celebrações tem causado nas pessoas.

O prejuízo em todos os setores, mas acredito que o maior deles é estar restrito e não poder participar e receber Jesus presencialmente. A Igreja, nos orienta a comungar espiritualmente que  é um alento para quem não pode comungar fisicamente, mas a ausência da comunhão física é um imenso prejuízo, digo isto por mim e por muitos que buscam participar da santa missa diariamente e por todos que semanalmente participam desta celebração.

Principal celebração cristã

O dia de celebração da Páscoa é o principal do calendário litúrgico cristão, pois é nesse dia que se comemora a Ressurreição de Cristo, onde todas as outras datas importantes do cristianismo são calculadas (Semana Santa, Quaresma, Quarta-feira de Cinzas etc.). Diante dessa nova forma de celebrar (digo isso pela ausência da celebração na igreja com fiéis), a certeza que temos é que o valor da missa continua intocável, Jesus atualiza sua morte e ressurreição em todas as celebrações e cabe a nós, cristãos, extrairmos a maior intimidade possível com Jesus.

Que a celebração da Páscoa, mesmo feita isolada fisicamente, sem aglomerações nos aproxime de realizar boas obras e que as nossas vozes, em cada canto das cidades possam levar a certeza de que Jesus vive hoje e sempre.

Eu encerro o texto com a frase: “A dor pode durar uma noite, mas logo ao amanhecer vem a alegria.”

Uma Feliz e Santa Páscoa a todos

Leia Também